Escolha uma Página

PROJETOS

 

Em andamento

Discomforting territories: images, narratives and objects of the Global South (2019- atual)

Descrição: PROBRAL – PROJETOS DE COOPERAÇÃO EM PESQUISA ENTRE O BRASIL E A ALEMANHA – CAPES/DAAD. The project addresses research issues linked to ongoing academic discussions of a particular relevance to understanding the consequences of globalized world order for societies in the Global South that are marked by economic and political asymmetries as well as the longue durée of postcolonial legacies. It also constitutes a relevant contribution to the reflection on the challenge that Global South Studies represent for the geopolitics of knowledge inscribed in the global field of knowledge production. This project intends to explore Global South epistemologies and cultural and social expressions through a dialogue between textual, image and music studies and ethnographic research. Discomforting cultural and social expressions serve as a reflexive analytical tool of epistemic disobedience (Mignolo, 2009) that confronts fixed binaries of traditional European epistemological tradition opening to other and alternative modes of existence. At the same time, the central notion of discomforting territories refers to the question of globalized territorialities being charted by overlapping affective, cognitive, and practical approaches and constituted by what Mbembe has identified as “temporalities of entanglement” (2001). The aim of this project is to produce a dialogue between images, texts and objects ? ?discomforting territories? ? as places of cultural, political, artistic expressions in different social movements, politics of recognition, transnational identity belongings, and rearrangements of contemporary historical narratives. Discomfort is a provocative line of thought to develop de-centered epistemologies and think North/South relations from new epistemological horizons (Santos, 2002) articulating researches that bring to the foreground Latin American, Diasporical, Amerindian, and Afro-Brazilian knowledge traditions and the productive frictions they produce in hegemonic perspectives. The project intends to frame different dimensions of the production, exhibition and circulation of images, texts and objects that express ?discomforting territories?, ?borders? and the different social-cultural arrangements, subjectivities and temporality regimes they operate. The aim is to investigate how certain events, images (films, photographs), texts, social networks, music, bodies, practices and objects produce discomfort, friction and unwanted temporalities conceived of as invisible pasts and futures that embody important social political configurations, conflicts, resistances and modes of existence.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Alunos envolvidos:  Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (5) 

Integrantes:  Renata de Sá Gonçalves – Integrante / Simone Pondé Vassallo – Integrante / Felipe Trotta – Integrante / Sebastian Thies – Integrante / Fernando Antônio Resende – Coordenador.

Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Cooperação / Deutscher Akademischer Austauschdienst – Cooperação.
Número de produções C, T & A: 1

Universidade em ação: incentivo à expansão com setores não acadêmicos e internacionalização de núcleos de pesquisa (2019 - atual)

Descrição: O projeto – Universidade em ação: incentivo à expansão com setores não acadêmicos e internacionalização de núcleos de pesquisa, vem consolidar e fortalecer a área de pesquisa em Antropologia em articulação com a Sociologia, História, Educação e Comunicação Social a partir de investimento na infra-estrutura de núcleos de pesquisa e laboratórios vinculados ao Instituto de Ciências Humanas e Filosofia (ICHF) da Universidade Federal Fluminense (UFF). Visamos a expansão de projetos de extensão à sociedade abrangente, a internacionalização, o intercâmbio e a formação avançada de professores, estudantes e comunidade. O presente projeto articula seis importantes núcleos e laboratórios de pesquisa do Instituto de Ciências Humanas e Filosofia da UFF, com suas equipes formadas por professores e estudantes de pós-graduação e graduação, aqui representados pelos coordenadores dos núcleos e laboratórios associados. Integram esta proposta as equipes dos núcleos de pesquisa: NARUA – Núcleo de Antropologia das Artes, Rituais e Sociabilidades Urbanas; o Cosmopolíticas – Núcleo de Antropologia; o NEGRA – Núcleo de Estudos Guerreiro Ramos; o NEOM – Núcleo de Estudos do Oriente Médio; o LEPECS – Laboratório de Ensino, Pesquisa e Extensão em Ciências Sociais, Educação e Saberes e o LAB Filme Etnográfico. O intercâmbio promovido entre as equipes possibilita avançar as reflexões sobre inclusão social com perspectivas comparativas promissoras como também pela consolidação teórico-metodológica nas áreas de estudos envolvidas. Destacamos a ênfase dada à formação, sistematização e atualização em perspectiva comparada e em diálogos com os grupos ameríndios, afro-brasileiros, latinoamericanos, conformando seus vínculos com a antropologia, sociologia, história e as políticas públicas contemporâneas, especialmente àquelas voltadas para as práticas culturais em movimento e reconhecimentos de direitos. Apoio a Instituições de Ensino e Pesquisa Sediadas no Estado do Rio de Janeiro ? 2018. FAPERJ.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Alunos envolvidos:  

Integrantes: Renata de Sá Gonçalves – Coordenador / FERRAZ, Ana Lúcia – Integrante / SILVA, Ana Claudia Cruz da – Integrante / BARRETO, Alessandra Siqueira – Integrante / Gisele Fonseca Chagas – Integrante / Flávia Rios – Integrante.

Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ – Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 3

A expansão do patrimônio cultural e a atuação da antropologia brasileira na virada do século XXI (2019 - atual)

Descrição: Este projeto de Bolsa de Produtividade do CNPq tem por objetivo investigar como o “patrimônio cultural”, especialmente o chamado “patrimônio imaterial” tem sido debatido pelos profissionais da antropologia no Brasil, dedicados à pesquisa e à execução de políticas públicas. Especialmente desde o ano 2000 houve uma intensificação de ações de “preservação do patrimônio cultural”. As ações de patrimonialização no Brasil têm importante papel e destaque pela criação de métodos de pesquisa, de inventário e de medidas de salvaguarda, baseados em processos investigativos com viés antropológico, servindo de modelo para outros países latino americanos e na Europa. Este projeto pretende destacar duas diferentes dimensões reflexivas sobre os estudos e as ações de preservação do chamado patrimônio cultural. A primeira é: 1- mapear e dimensionar a atuação do trabalho realizado por antropólogos no Brasil nestas duas últimas décadas, a partir de levantamento bibliográfico, levantamento e sistematização de um quadro de organismos, grupos e fóruns voltados para o tema do patrimônio, e realização de entrevistas com pesquisadores e profissionais da antropologia com atuação direta em processos de patrimonialização, seja como consultores, pesquisadores e proponentes de políticas e ações de preservação e salvaguarda. A intenção é compreender por um lado, uma forte presença dos profissionais da “cultura” entendida como uma categoria complexa que é acionada com diferentes usos e em distintos contextos, e, por outro, quais são as tensões, conflitos e desconfortos que emergem em suas ações movidas pela mediação, negociação e interlocução entre agentes envolvidos na gestão de políticas de preservação e de salvaguarda do patrimônio cultural. Outra dimensão é a proposta de um estudo aprofundado de um caso em específico.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Alunos envolvidos:  Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (4) .

Integrantes: Renata de Sá Gonçalves – Coordenador / Ana Beatriz Cunha Gonçalves – Integrante / Daphne Assis Cordeiro – Integrante / thais mendes – Integrante / Ana Maria Barrientos – Integrante / Guilherme Eugênio – Integrante / Fillipe Alexandre Oliveira Alves – Integrante.

Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – Bolsa.
Número de produções C, T & A: 9 / Número de orientações: 2

Objetos desconfortáveis: a preservação do patrimônio cultural e a antropologia brasileira. Jovem Cientista FAPERJ. (2018- atual)

Descrição: A presença da antropólogos em ações e políticas de preservação do patrimônio cultural tem sido debatida há algum tempo no âmbito das universidades e também pelas associações científicas, como a Associação Brasileira de Antropologia, e dentro de organismos de preservação do patrimônio cultural, como o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN, UNESCO, entre outros. Este projeto tem por objetivo investigar como a as expressões, objetos e lugares que se tornam “patrimônio cultural” são debatidos pelos profissionais da antropologia envolvidos com pesquisa e execução de políticas públicas de sua preservação. Os objetos e expressões culturais patrimonializadas outrora exaltados, podem também expressar sentimentos “desconfortáveis”. As sociedades, os organismos de proteção e os museus devem chegar a um acordo complexo que materializam inúmero conflitos sociais. Este projeto irá destacar duas diferentes dimensões dos estudos e das ações de preservação cultural. Uma é dimensão do trabalho do antropólogo no Brasil na contemporaneidade a partir de entrevistas com pesquisadores e profissionais da antropologia com atuação em processos de patrimonialização. A intenção é compreender as tensões, conflitos e desconfortos que emergem em suas ações pelo exercício de cargos e funções que envolvem a gestão de políticas de preservação e salvaguarda do patrimônio cultural. Outra dimensão é um estudo empírico em torno da patrimonialização do samba no Rio de Janeiro, a partir do trabalho etnográfico junto a duas ações de salvaguarda: a Escola de mestre-sala e porta-bandeira de Mestre Dionisio e o Museu do Samba. Tal tema é de fundamental importância para se pensar o papel da Universidade e de suas ações e mediações no que tange a atuação do antropólogo na esfera pública. Jovem Cientista do Nosso Estado . E-26/202.708/2018 – bolsa.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Alunos envolvidos:  Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) .

Integrantes:Renata de Sá Gonçalves – Coordenador.

Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ – Bolsa.
Número de produções C, T & A: 11 / Número de orientações: 4

Processos de Pesquisa em Antropologia Visual, Artes e Antropologia Urbana: Formação de Quadros (2015- atual)

Descrição: O projeto tem como objetivos principais o treinamento e formação continuada de pesquisadores, o fortalecimento da nucleação em Antropologia e a consolidação de sua rede nacional e internacional, sob minha coordenação. Investimos na formação teórica e prática de uma equipe multidisciplinar, atualmente composta por alunos de graduação em ciências sociais, antropologia e cinema e pesquisadores vinculados a projetos de Extensão. Neste contexto, o bolsista de Treinamento e Capacitaçao Técnica/FAPERJ será qualificado tecnicamente e potencializará a sistematização das atividades de pesquisa e de prática audiovisual, de modo a fortalecer uma rede de pesquisa entre os núcleos e laboratórios da UFF aqui integrados, desenvolvendo atividades de formação em pesquisa etnográfica, produção audiovisual e apoio aos seminários temáticos e oficinas técnicas.

Edital FAPERJ Nº 07/2015. E_07/2015 – Programa de Treinamento e Capacitação Técnica (TCT) – 2015. Proc. n.º 203.139/2015.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1).

Integrantes: Renata de Sá Gonçalves – Coordenador / Adriana Andrade Xerez – Integrante.

Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ – Bolsa.

Antropologia, artes, mediações e cosmopolíticas. Fortalecimento da nucleação em Antropologia na UFF e consolidação de rede de pesquisa (2014-atual)

Descrição: O projeto Antropologia, artes, mediações e cosmopolíticas tem como objetivos principais o fortalecimento da nucleação em Antropologia na UFF e a consolidação de sua rede nacional e internacional. Integram e participam desta iniciativa pesquisadores vinculados ao Núcleo de Antropologia das Artes, Rituais e Sociabilidades Urbanas (NARUA/UFF), ao Cosmopolíticas/UFF, ao Laboratório do Filme Etnográfico/UFF e ao Laboratório de Ensino, Pesquisa e Extensão em Ciências Sociais, Educação e Saberes (LEPECS/UFF). Os pesquisadores associados atuam especialmente nas linhas de pesquisa Ritual e Simbolismo; Etnografia Urbana; Antropologia e Imagem; Transmissão de Patrimônios Culturais e Etnologia sul-americana. Dialogam a partir de atividades em comum a partir de três eixos temáticos que se cruzam transversalmente:

1- Artes e formas expressivas

2- Mediações urbanas

3- Cosmopolíticas.

 Embora profundamente interligados, esses eixos organizam conjuntos específicos de pesquisas e tornam possível a focalização de aspectos diferenciados do conhecimento antropológico, de modo ao mesmo tempo definido e flexível. Os três eixos permitem pensar os saberes, as artes e as políticas nos circuitos urbanos, ameríndios, afro-brasileiros, transnacionais, de uma forma integrada e aberta, considerando os seus diversos planos, distintas estratégias metodológicas e abordagens, além da reflexão em torno das fronteiras e as mediações entre os circuitos sociais, os trânsitos de pessoas e a circulação de objeto materiais. O presente projeto visa, portanto, o fortalecimento dos núcleos e a sistematização dos conhecimentos produzidos. Busca-se com isso não só a democratização desses conhecimentos por meio da publicização de produções bibliográficas e audiovisuais bem como o fomento à organização em rede de encontros presenciais, de vídeo conferências e o estímulo à permanente reflexão sobre pesquisa em antropologia, docência, extensão e políticas públicas. O projeto, deste modo, visa o treinamento e a formação continuada de pesquisadores, o fortalecimento da nucleação em Antropologia e a consolidação de sua rede nacional e internacional, sob minha coordenação. Investimos na formação teórica e prática de uma equipe multidisciplinar, atualmente composta por alunos de graduação em ciências sociais, antropologia e cinema e pesquisadores vinculados a projetos de Extensão. Neste contexto, o bolsista de Treinamento e Capacitação Técnica/FAPERJ será qualificado tecnicamente e potencializará a sistematização das atividades de pesquisa e de prática audiovisual, de modo a fortalecer uma rede de pesquisa entre os núcleos e laboratórios da UFF aqui integrados, desenvolvendo atividades de formação em pesquisa etnográfica, produção audiovisual e apoio aos seminários temáticos e oficinas técnicas.

FAPERJ E_41/2013 – Apoio a Grupos Emergentes de Pesquisa no Estado do Rio de Janeiro – 2013. E bolsa de TCT a partir do Edital FAPERJ Nº 07/2015; Programa de Treinamento e Capacitação Técnica (TCT) – 2015. Proc. n.º 203.139/2015.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Alunos envolvidos: Graduação: (10) / Mestrado acadêmico: (14) / Doutorado: (3) .

Integrantes: Renata de Sá Gonçalves – Coordenador / Nilton Santos – Integrante / BITTER, Daniel – Integrante / FERRAZ, Ana Lúcia – Integrante / ALVES, Marina Morena Rosa – Integrante / SILVA, Ana Claudia Cruz da – Integrante / BARRETO, Alessandra Siqueira – Integrante / Joana Miller – Integrante / Diego da Silva Tavares – Integrante / Ana Beatriz Cunha Gonçalves – Integrante / Daphne Assis Cordeiro – Integrante / Felipe Viana Gomes Brandão – Integrante / Adriana Batalha dos Santos – Integrante / Luiz Gustavo Mendel de Souza – Integrante / Letícia Marques Camargo – Integrante / Maria Suellen Timoteo Correa – Integrante / Ricardo Moreno de Melo – Integrante / Sandro Dias Tebaldi – Integrante / Pedro Ivo Mira da Silva – Integrante / Ellen Fernanda Natalino Araujo – Integrante.

Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ – Auxílio financeiro 

Narrativas e performances de memória da vida judaica no bairro da Praça Onze, Rio de Janeiro. (2014 – atual)

Descrição:  Na primeira metade do século XX, o bairro da Praça Onze, área central do Rio de janeiro, recebeu um grande contingente de judeus vindos do Leste Europeu, chamados asquenazes. A comunidade judaica conviveu com ciganos, espanhóis, italianos e negros libertos da escravidão. Os judeus instalaram-se nas cercanias da antiga Praça Onze de Junho, num conjunto de ruas e vilas de casas, desenvolvendo uma ampla atividade social, econômica, religiosa e política nesta região. A partir dos anos 1940, esta população começou a se deslocar para outras áreas da cidade e o bairro foi ganhando um novo perfil, passando inclusive por uma reforma urbana de grande vulto com a abertura da Av. Presidente Vargas. A demolição de grande parte do casario do bairro, incluindo a própria Praça Onze teve consequências dramáticas para grande parte dos diversos grupos que ali viviam. O bairro, representado como o berço do samba, “malandragem” e do carnaval carioca, continua, entretanto, a ocupar cada vez mais, um lugar proeminente no imaginário e nas narrativas de pertencimento étnico-cultural dos descendentes destes imigrantes. Esta pesquisa procura investigar as modalidades práticas e discursivas destes imigrantes e seus descendentes na construção de um pertencimento social e cultural baseado na representação de uma comunidade judaica integrada à vida cotidiana carioca. Seu objetivo é compreender como este pertencimento é construído, performado, imaginado e objetificado através de uma diversidade de práticas e discursos. Um dos polos geradores destas narrativas de memória é a vida de Pinduca, apelido de Maurício Bemkes, o último judeu a permanecer na Vila Dr. Alberto Cerqueira, que outrora, foi majoritariamente ocupada pela comunidade judaica, no coração do bairro. Pinduca e sua família ainda ocupam o centro de uma forte rede de relacionamentos que periodicamente revive a típica convivência que uniu judeus, negros e outros grupos, especialmente em torno do carnaval carioca na primeira metade do séc. XX.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Alunos envolvidos: Graduação: (2) .

Integrantes: Daniel Bitter – Coordenador / Annelise Campos – Integrante / Arthur Henrique Fernandes De Farias – Integrante / Diego Tavares – Integrante / Giulia Nunes – Integrante / Ulisses Puertas – Integrante / Debora Herszenhut – Integrante.

Narradores urbanos: trajetórias e trajetos das margens (2014 - atual)

Projeto de iniciação científica com financiamento CNPq.

Situação: Em andamento;

Natureza: Pesquisa.

Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) .

Integrantes: Alessandra Siqueira Barreto – Coordenador / Mariana Godoy Queiroz – Integrante / Renata Carvalho Rodrigues Souza – Integrante

Cartografias da Margem. Visualidade, território e risco social entre moradores de bairros populares no Rio de Janeiro, Brasil (2013- atual)

A cidade é feita de práticas que fixam trajetos, territórios, relações sociais. Cartografar tais elementos que põem em relação modos de vida distintos é um desafio que coloca problemas metodológicos e de linguagem. Reconstruir um traçado que caracterize a cidade tal como vivida por personagens urbanos, extratos da classe trabalhadora pauperizada, que vivem em situação de risco social, permite-nos mapear uma rede de perspectivas sobre a cidade. A partir do processo de produção de uma cartografia de relações entre moradores de cortiços, de rua, de ocupações e favelas, o presente projeto discute o estado do debate acerca de populações postas à margem das condições reprodução social. Estratégias e táticas desse extrato da classe trabalhadora que habita Niterói, cidade da região metropolitana do Rio de Janeiro, colocam a cidade em perspectiva. Reconstruímos a cidade tal como vivida e narrada por personagens particulares. Uma tal concepção de cartografia mapeia histórias vividas, incorporadas, em relação.

Situação: Em andamento;

Natureza: Pesquisa.

Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) .

Integrantes: Ana Lúcia Marques Camargo Ferraz – Coordenador / Xerez, Adriana – Integrante / Gradella, Pedro d’Andrea – Integrante / Pedro Ivo Mira da Silva – Integrante / Santos, Diogo Campos dos – Integrante / Raylane Christian Braz de Oliveira – Integrante

Cosmopolitas: fluxos, mediações e processos identitários de jovens no mundo contemporâneo (2013 - atual)

Projeto de pesquisa e extensão vinculado a bolsas de desenvolvimento acadêmico PROAES.

Situação: Em andamento;

Natureza: Outra.

Alunos envolvidos: Graduação: (3) .

Integrantes: Alessandra Siqueira Barreto – Coordenador / Arthur Henrique Fernandes de Farias – Integrante / Bianca Suzy dos Reis dos Santos- Integrante / Samuel Camara de Lemos Filho – Integrante.

Financiador(es): Universidade Federal Fluminense – Bolsa.

Sociabilidades urbanas e Comunicação social: Oficinas de Vídeo entre moradores de bairros populares de Niterói (2012- atual)

O projeto de extensão universitária visa implementar um núcleo de atividades educativas por meio da difusão das técnicas de produção de vídeo e do teatro aplicado à pesquisa etnográfica, iniciando moradores dos bairros de São Domingos, Gragoatá e Ingá, Niteroi/RJ, na produção de vídeo. Tal atividade deve também ser estimular os alunos dos cursos de graduação em Ciências Sociais, Antropologia e Cinema da UFF a se apropriarem da pesquisa etnográfica mediada pela produção de vídeo como método de pesquisa em antropologia urbana. As atividades de iniciação ao vídeo devem produzir ainda reflexões sobre a questão da moradia popular, bem como acerca da sociabilidade e da apropriação do espaço urbano entre moradores dos bairros que circundam o campus da Universidade Federal Fluminense.

Situação: Em andamento;

Natureza: Extensão.

Alunos envolvidos: Graduação: (7) / Mestrado acadêmico: (1) .

Integrantes: Ana Lúcia Marques Camargo Ferraz – Coordenador / Martins, Gabriela Miranda de Lima Gomes – Integrante / Gradella, Pedro d’Andrea – Integrante / Pedro Ivo Mira da Silva – Integrante.

Financiador(es): Universidade Federal Fluminense – Bolsa.

Associativismo imigrante, mediação e atuação política de brasileiras no cenário contemporâneo (2012 – atual)

Situação: Em andamento;

Natureza: Pesquisa.

Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (2) .

Integrantes: Alessandra Siqueira Barreto – Coordenador / Alessandro Andre Leme – Integrante / Graça Indias Cordeiro – Integrante.

Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ – Auxílio financeiro.Número de orientações: 1

A aprendizagem no samba. Pesquisa etnográfica entre músicos populares (2011- atual)

Estuda a aprendizagem na música popular, no contato com jovens de classes trabalhadoras, moradores de grandes cidades que participam de rodas de samba. Um exame dos discursos sobre um modo de aprender particular “de ouvido”, que “tira a música”, nos expõe saberes e práticas mobilizados na performance de tais grupos, em sua prática de constituição do campo do samba “de raiz” ou “da velha guarda”. Uma etnografia do fazer musical localiza no canto e no ritmo um fazer que organiza encontros orgiásticos intergeracionais. Diferente das abordagens que pensam o samba em relação a sua “origem” ou segundo a interpretação que visa caracterizar um ethos formador de identidade nacional, viso proceder a uma escuta que anota intensidades, grandeza que reúne na mesma categoria noções de tempo, corporalidade e força que marcam um fazer específico, experiências particulares do tempo. Construir com a mediação do filme etnográfico uma abordagem para lidar com este universo, intensificando a produção de vídeo com os sujeitos estudados.

Situação: Em andamento;

Natureza: Pesquisa.

Alunos envolvidos: Graduação: (1) .

Integrantes: Ana Lúcia Marques Camargo Ferraz – Coordenador.

Financiador(es): Pro-Reitoria de Pesquisa e Inovação/UFF – Auxílio financeiro.

Circulação de mediadores, saberes e práticas sócio-culturais: carnavalescos, técnicos especializados e artistas plásticos entre o universo dos barracões e ateliers na cidade do Rio de Janeiro (2010 - atual)

O projeto de pesquisa procura entender os circuitos de interação estética presentes no universo das escolas de samba e ateliers do Rio de Janeiro envolvendo vis-à-vis carnavalescos e artistas plásticos. Com pesquisa de campo e entrevista com diversos mediadores pretendemos entender como se dá o trânsito de saberes e práticas entre estes sujeitos.

Situação: Em andamento;

Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Nilton Silva dos Santos – Coordenador.

Uma Antropologia das Formas Dramáticas - Desafios conceituais e metodológicos na pesquisa etnográfica entre grupos populares (2010- atual)

Estudar formas dramáticas populares a partir do modo como elas são vividas, percebidas e concebidas pelos sujeitos dos processos sociais que acompanhamos na pesquisa mediada por processos de realização de filmes etnográficos é o objetivo do projeto. Desenvolver uma reflexão teórica sobre nossas mediações nos processos de produção de conhecimento em ciências humanas e acerca da particularidade da etnografia mediada por imagens, que ultrapassa em muito uma dimensão meramente instrumental e nos coloca no seio de um debate epistemológico. Os filmes etnográficos são pensados aqui como meios de aprofundar compreensões acerca de formas narrativas e das relações entre imagem e memória.

Situação: Em andamento;

Natureza: Pesquisa.

Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) .

Integrantes: Ana Lúcia Marques Camargo Ferraz – Coordenador / Xerez, Adriana – Integrante.

Localização:

Campus Gragoatá - Rua Professor Marcos Waldemar de Freitas Reis, Bloco P - salas 210.
São Domingos - Niterói - RJ
Cep: 24210-201

Funcionamento:

Segunda a Sexta
10:00 às 12:00 | 14:00 às 17:00
Tel: (21) 2629-2858